A coordenadora do Banco de Leite do Hospital Estadual Infantil e Maternidade de Vila Velha (Himaba), Rosa Maria Negri Rodrigues Alves, participou de debate sobre o aleitamento materno na reunião da Comissão de Saúde na Assembleia Legislativa do Espírito Santo.

Com o objetivo de chamar a atenção para a Semana Estadual de Doação de Leite Materno, celebrada de 19 a 25 de maio, Rosa falou sobre a importância de ter o leite materno à disposição do recém-nascido. “Não existe nenhuma ação de saúde que tenha mais sucesso em reduzir a mortalidade de bebês prematuros do que a doação de leite materno” destacou. A pediatra explicou que a mulher que pode doar muito ou pouco leite tem igual importância para os bancos de leite. “Nós temos prematuros que precisam de um ml a cada 6 horas. Estou dizendo isso para mostrar que toda doação é importante, independente da quantidade que a mulher consiga doar, o importante é doar, a quantidade é só um detalhe”, esclareceu.

A doação de leite é capaz de salvar a vida de milhares de recém-nascidos prematuros e de baixo peso (menos de 2,5 kg) e que não podem ser amamentados pela própria mãe. Para doar, basta ser saudável e não tomar nenhuma medicação que interfira na amamentação. “Lembro sempre que a prioridade é o seu bebê. A doação é do leite excedente”, acrescentou.

Em 2017, a rede de bancos de leite do Espírito Santo contou com mais de 3.500 doadoras e coletou mais de 4.100 litros de leite.

Qualidade - Os bancos de leite do Espírito Santo têm “padrão ouro de qualidade”. Quatro deles estão localizados na Grande Vitória (Hospital Estadual Infantil e Maternidade de Vila Velha (Himaba), Hospital das Clínicas, Santa Casa de Misericórdia de Vitória e o Hospital da Polícia Militar). No interior, a rede de bancos de leite conta com unidade no Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim e no Hospital Maternidade São José, em Colatina.