Funcionando há três meses, a Unidade de Saúde Mental Infantojuvenil instalada no Hospital Estadual Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha, tem sido um porto seguro para pacientes com transtornos mentais que necessitam de atendimento psiquiátrico de urgência. Desde que foi aberto, no dia 05 de março, o serviço recebeu 41 pacientes, que deram entrada pelo Pronto-Socorro do Himaba ou foram encaminhados de outros hospitais pela Central de Regulação de Internação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Aparecida Borges, 46 anos, mãe do paciente Diogo Borges, 15, se sente aliviada por ter um serviço hospitalar especializado no atendimento a pacientes da idade do filho dela. “Hoje eu estou mais tranquila porque meu filho está recebendo um tratamento adequado. Não é só medicar e mandar para casa. Aqui no Himaba ele está passando por atendimento psicológico e está aprendendo várias atividades. Estou muito feliz!”, relata a mãe.

Aparecida se emociona ao replicar a frase que, segundo ela, o filho diz todos os dias: “Mãe, eu não quero ir embora. Aqui eles me amam e cuidam de mim”. Para ela, o serviço especializado em saúde mental infantojuvenil é essencial. “É muito bonito o que eles fazem com nossos filhos aqui. Eu me emociono, agradeço a equipe pelo apoio e carinho”, diz a mãe.

A Unidade de Saúde Mental Infantojuvenil do Himaba é referência para pacientes não só da Grande Vitória, mas de todo o Estado. O espaço conta com dez leitos, estrutura que possibilita ofertar pelo menos 840 internações por ano. De acordo com a coordenadora do serviço, a enfermeira e psicanalista Desirée Seide, o objetivo do atendimento hospitalar é estabilizar o paciente que está em surto e, por meio de tratamento com medicamentos e atividades psicopedagógicas, colocá-lo novamente em condições de conviver em sociedade.

“É muito satisfatório ver pais e acompanhantes felizes por poderem contar com esse serviço. Ver a recuperação destas crianças e adolescentes após fazermos com eles um trabalho terapêutico multidisciplinar é o que motiva a gente”, acrescentou Desirée.

O Himaba oferece serviço 24 horas de pronto-socorro e internação na área psiquiátrica. Ao todo, sete enfermeiros, oito técnicos de enfermagem, um terapeuta ocupacional e um psicólogo, além de médicos psiquiatras compõem a equipe da Unidade de Saúde Mental, que possui também uma sala onde são realizadas atividades terapêuticas como pintura, leitura, musicoterapia, jogos e outras atividades que auxiliam no cuidado dos pacientes com transtornos mentais.

Política de Saúde Mental

A Política Nacional de Saúde Mental, amparada na Lei 10.216/2001, inverte o modelo de tratamento das pessoas com transtornos mentais. Antes, esses pacientes eram trancados em instituições localizadas longe dos centros urbanos e ficavam distante da família e da comunidade, o que ocasionou muitas histórias de abandono e perda dos vínculos familiares.

A Unidade de Saúde Mental Infantojuvenil do Himaba trabalha dentro dos padrões da Política Nacional de Saúde Mental, que preconiza que os pacientes com transtornos mentais que precisam de internação sejam atendidos em leitos instalados dentro de hospitais gerais, ou seja, de hospitais onde a saúde mental é mais um serviço, não o único. Os leitos de saúde mental são usados para internação de curta permanência, enquanto durar o quadro de crise aguda, assim como acontece em qualquer outra situação de internação em razão de outros problemas de saúde.